Pericardite

A estrutura da parede do coração humano é composta por três camadas diferentes, sendo o endocárdio, o miocárdio e o pericárdio, que é a membrana que envolve o órgão. O pericárdio é muito importante porque protege o coração e também as raízes dos vasos.

Ele ainda mantém o coração na posição correta, os níveis adequados de líquido pericárdico forma uma barreira contra infecções e limita a distensão dos ventrículos. Por isso, problemas que afetam o pericárdio trazem sérias complicações para o coração.

Uma das patologias que podem afetar essa camada é a pericardite, e neste post falaremos a respeito dela. Continue lendo para saber quais são os tipos diferentes dessa doença, o que a causa, seus sintomas, de que forma é feito o tratamento.

 

O que é pericardite?

A pericardite é uma inflamação que acomete a camada que reveste o coração causando irritação e inchaço nessa membrana. Esse problema pode se manifestar de duas formas diferentes, sendo o tipo agudo e o crônico.

 

Pericardite aguda

Em sua forma aguda a pericardite se instala de maneira súbita e dura por volta de uma a três semanas. Existem casos em que após um período de quadro clínico estável, que dura em torno de quatro a seis semanas, a inflamação volte a se manifestar periodicamente, sendo classificada como pericardite aguda recorrente.

Os sintomas desencadeados pela pericardite aguda se classificam principalmente como uma dor muito forte e repentina no peito, mas no caso de crianças, ela é percebida na região do abdômen.

A intensidade da dor costuma aumentar quando a pessoa se deita e diminuir quando o corpo está inclinado ou a pessoa se senta. Respirar profundamente, tossir e engolir pode aumentar ainda mais a dor.

 

Pericardite crônica

Já em sua forma crônica, a pericardite se desenvolve gradativamente e sua evolução acontece em períodos prolongados. No começo o problema nem mesmo manifesta sintomas, sendo que os incômodos começam a surgir quando acontece o acúmulo de líquido no espaço pericárdico ou então o espessamento dessa membrana.

Esse espessamento é provocado por cicatrizes que se formam no tecido fibroso do coração, como consequência, há uma redução do seu tamanho e as suas funções ficam comprometidas. A pericardite crônica é geralmente uma evolução da aguda.

Os sintomas desse problema também se manifestam como uma dor no meio do peito, mas nesse caso, ela irradia para as costas, o ombro esquerdo e o pescoço. Sua intensidade aumenta ao respirar fundo, além disso, pode vir acompanhada de sintomas como:

  • cansaço;
  • sensação de fraqueza;
  • falta de ar;
  • palpitações;
  • febre;
  • inchaços no abdome e membros inferiores.

Essas manifestações variam para cada pessoa de acordo com o tipo e a gravidade do seu quadro clínico.

 

Causas da pericardite

Num grande número de casos de pericardite é difícil saber ao certo as causas dessa inflamação, porque ela não apresenta motivos aparentes, sendo classificada como idiopática. Essa situação é semelhante às viroses nas quais o agente infeccioso não foi identificado ou testado.

De toda forma, sabe-se que essa inflamação pode ser causada por de vírus, sendo muito frequente. Alguns deles são o vírus influenza, adenovírus, herpesvírus e os micro-organismos causadores do sarampo, hepatite, caxumba e catapora.

Também pode se manifestar em função da proliferação de bactérias, alguns tipos de parasitas e fungos. Nesses dois últimos casos as manifestações por causa desses microrganismos são mais raras.

O periocárdio pode inflamar, ainda, em decorrência de problemas de saúde, como aqueles relacionados ao sistema imunológico, neoplasias, inflamações intestinais, problemas metabólicos, traumas no tórax e alguns tipos de medicamentos.

Outra possível causa para esse problema é a realização de cirurgias no coração ou eventos de ataque cardíaco. Quando isso ocorre é classificada como síndrome de Dressler ou síndrome pós-injúria cardíaca, podendo afetar, inclusive, também a pleura e as membranas pulmonares.

Tratamento da pericardite

Procedimentos adotados para tratar a pericardite variam de acordo com as causas do problema e a sua gravidade. Quando a inflamação é leve e provocada por micro-organismos são utilizados medicamentos para combater sintomas, como anti-inflamatórios, antifúngicos, analgésicos e antitérmicos. Em alguns casos é necessária a administração de corticosteroides.

Antibióticos são indicados para os quadros em que há infecção por bactérias e os diuréticos minimizam a quantidade de líquidos acumulados. No caso de conhecer a doença que está causando a inflamação no pericárdio, então, o tratamento tem foco no controle desse problema.

Para todos os pacientes em tratamento de pericardite não é recomendada a prática de exercícios físicos e atividades que causam cansaço. Isso enquanto a inflamação não estiver controlada.

Veja também: O que é Angioplastia 

A pericardite quando diagnosticada precocemente tem cura, por isso, é fundamental identificar ainda no início e procurar um médico para que ele possa indicar o método mais adequado em cada caso, evitando que o problema se agrave.

Entre em contato conosco

Entre em contato conosco

WhatsApp chat