Inflamação na gengiva pode afetar o coração

Inflamação na gengiva pode afetar o coração

É muito comum que as pessoas não vejam relação entre os problemas que acontecem na boca com a saúde do organismo, de um modo geral. No entanto, apesar de serem tratados por profissionais diferentes, o corpo e o ambiente bucal interferem um no outro, tanto negativa quanto positivamente.

Por isso, se o indivíduo tiver algum problema de saúde como o diabetes, seus dentes, gengivas, entre outros, ficam mais suscetíveis a desenvolverem problemas. Da mesma forma, se os tecidos bucais não estiverem saudáveis, o problema pode se estender para outros órgãos.

É isso o que acontece com a gengivite, que está relacionada com problemas do coração. Continue lendo este artigo para entender por que isso acontece, e a necessidade de cuidar bem dos dentes para evitar complicações cardíacas.

O que é uma inflamação na gengiva?

A inflamação na gengiva é uma condição denominada gengivite e que, quando não tratada, se agrava e evolui para a periodontite. No segundo caso, além das gengivas o problema se estende para todos os tecidos que sustentam os dentes, sendo por exemplo, as fibras colágenas e o osso alveolar.

Esse problema é ocasionado, principalmente, pela proliferação de bactérias que se alimentam de resíduos de comida, depositados sobre os dentes e nas bordas das gengivas. Elas liberam ácidos, e o organismo reage com uma resposta inflamatória, desencadeando sintomas como vermelhidão, inchaço e sangramento.

Por que a gengivite causa problemas cardíacos?

Para entender de que forma inflamação na gengiva e coração se relacionam, é importante compreender que a boca não é um universo diferente do restante do organismo. O mesmo sangue que circula nas gengivas, bochechas, língua e raiz dos dentes, é aquele que irriga todos os demais órgãos.

É por isso que, quando o indivíduo tem algum problema de saúde, ele pode desencadear sintomas dos mais diferentes em áreas distintas do corpo. Sendo assim, quando há proliferação exagerada de bactérias na boca, elas penetraram a corrente sanguínea, e migram para o organismo de um modo geral.

Sendo o coração o músculo responsável por bombear o sangue para todo o corpo, quando as bactérias estão presentes nele, elas também afetam esse órgão. Ali aderem as superfícies apropriadas para sua proliferação, nesse caso, os vasos sanguíneos, artérias coronárias ou áreas do músculo cardíaco que já apresentem alguma lesão.

A presença desses microrganismos aumenta as chances de se formarem coágulos, que podem desencadear um infarto ou até mesmo um acidente vascular cerebral (AVC). A situação se torna ainda mais preocupante para pessoas que já apresentam problemas cardíacos.

Isso porque, como o coração já se encontra fragilizado, as bactérias podem desencadear a endocardite, uma inflamação que afeta o revestimento interno do coração e que pode levar o indivíduo à morte.

Mas os prejuízos de uma inflamação na gengiva não terminam por aí, afinal, as bactérias da boca também podem causar aterosclerose. Nesse caso, trata-se do entupimento das artérias, que ficam parcialmente ou totalmente obstruídas dificultando a passagem do sangue. Com o tempo isso leva a outras condições problemáticas que podem causar infarto ou AVC.

Veja também: A importância da avaliação cardiológica

Como evitar as complicações cardíacas da inflamação na gengiva?

Na verdade, o ideal é não deixar que a gengiva fique inflamada para que não ocorram complicações. Sendo assim, a medida principal é manter uma boa higiene bucal, para evitar a proliferação das bactérias.

Os dentes precisam ser escovados no mínimo duas vezes por dia, sendo o ideal sempre após ingerir algum alimento ou bebida. Mas somente isso não basta, porque os resíduos também se depositam sobre a língua e ficam presos entre os dentes.

Por isso, não se esqueça de escová-la também e de usar o fio dental pelo menos uma vez por dia. Afinal ele remove os resíduos de alimentos que ficam presos nos locais onde a escova não consegue alcançar.

Além disso, é fundamental passar por uma consulta com o odontologista a cada 6 meses. Nessas visitas o profissional adota medidas preventivas como a profilaxia e a remoção do tártaro, outro problema que também estimula a proliferação de bactérias que afetam o coração.

O acompanhamento com o especialista é fundamental para todas as pessoas. No entanto, se você estiver em grupos de risco para o desenvolvimento de problemas cardíacos e bucais, isso se faz ainda mais importante.

Idosos, gestantes, fumantes e diabéticos são alguns grupos que precisam passar por consultas com o dentista sem falta. Além deles, também os cardíacos devem cuidar muito bem dos seus dentes e fazer o acompanhamento com um cardiologista.

Inflamação na gengiva e coração não formam uma boa dupla, por isso, cuide de muito bem dos seus dentes e da sua saúde cardíaca para evitar problemas maiores, que podem afetar seriamente a sua qualidade de vida ou até mesmo colocá-la em risco.

Entre em contato conosco

Entre em contato conosco

WhatsApp Agende sua Consulta