Ataque Cardíaco: Sintomas

Ataque Cardíaco: Sintomas

Você sabia que todos os anos, cerca de 300 mil pessoas sofrem infarto no Brasil? Dessas, 80 mil acabam entrando em óbito, seja por morte súbita, ou por que não receberam tratamento adequado. É por isso que hoje vamos conversar um pouco a respeito de ataque cardíaco.

Esse é um problema muito comum, que pode afetar tanto homens como mulheres. Sua taxa de mortalidade, embora seja menor atualmente, ainda continua significativa. Mas, para que possamos reduzir mais esses números, é fundamental conhecer os sintomas.

Continue lendo este artigo para você conhecer os sinais do infarto, tanto aqueles que podem anteceder, como os que indicam que o quadro já está instalado. Descubra também as diferenças desses sintomas para homens e mulheres.

O que é o ataque cardíaco e por que ele acontece?

O ataque cardíaco ou infarto, é um problema que ocorre no coração, sendo causado pelo fluxo sanguíneo insuficiente nesse órgão. Em função de uma artéria obstruída, o organismo não consegue fluir o sangue oxigenado para uma determinada área do coração.

Em função disso, com tempo acontece a morte das células, e o músculo acaba entrando num processo de necrose. Quando esse estado se avança, ocorre o ataque cardíaco, que pode ou não levar também à parada cardíaca.

Esse problema acontece porque a veia coronária acaba sendo obstruída por um coágulo de sangue. Geralmente, ele se forma quando há gordura no interior dessa veia, e as placas que ela forma é que provocam a dificuldade para o sangue fluir.

Sintomas do ataque cardíaco

Sempre que existe alguma coisa errada com o nosso corpo, o organismo envia sinais avisando que há algum problema. No caso do ataque cardíaco, isso não é diferente, sendo que existem alguns sintomas que antecedem o episódio em si.

Embora o nosso organismo avise que o coração pode entrar em colapso, os sintomas que se manifestam anteriormente nem sempre são percebidos ou vistos como indício de tal fato.

Isso porque eles são muito sutis, vagos, silenciosos e até mesmo indolores. É por isso que muitas vezes, não são associados ao problema de coração. De toda forma, é muito importante conhecer esse sintomas e ficar atento a eles. Veja quais são:

Falta de ar

Ela é um forte indicativo do ataque cardíaco e nem sempre vem acompanhada de dores no peito.

Dor no peito

Pode ser um indício de ataque cardíaco quando se localiza apenas na região esquerda e central, também irradiando para o braço esquerdo. Uma de suas características é uma dor que vai e volta durante várias vezes, ou então que é mais intensa, mas ocorre em intervalos maiores.

Náuseas e vômitos

Embora sejam sintomas de diversos problemas, também podem indicar problemas no coração. 

Azia ou indigestão

Como as células nervosas do estômago se localizam muito próximas do coração, esses dois sintomas e o ataque cardíaco podem ser confundidos ou se correlacionarem, porque nem sempre o organismo sente a dor diretamente no local do problema.

 Sintomas do ataque cardíaco em homens e mulheres

Como dito na introdução, os sintomas do ataque cardíaco podem variar em função do sexo biológico do indivíduo. Nesse caso, é mais difícil identificar o quadro em mulheres, porque elas apresentam sintomas que são atípicos para esse problema.

No caso dos homens é mais comum que eles manifestam os sintomas clássicos, que são:

  • Dor no peito que irradia para o braço esquerdo, costas pescoço estômago;
  • Desmaio;
  • Suor frio.

Já as mulheres relatam os seguintes sinais:

  • Vômitos e enjoos;
  • Fadiga excessiva;
  • Arritmia;
  • Desconfortos no peito;
  • Falta de ar.

Veja também: Arritmia cardíaca

Como você pode ver, esses sintomas não são tão frequentes para os casos de ataque cardíaco, e muitas vezes eles são confundidos com manifestações de outras doenças e problemas de saúde. Por essa razão, é fundamental procurar ajuda médica sempre que houver alguma suspeita, ou se você não souber o que pode estar causando esses desconfortos.

O atendimento urgente é essencial para que o ataque cardíaco não venha levar o indivíduo a óbito. Cabe a própria pessoa saber identificar esse quadro em si e também para ajudar outros, de modo que o tratamento ocorra o mais cedo possível para preservar a vida.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entre em contato conosco

Entre em contato conosco

WhatsApp Agende sua Consulta